Tem Capivara no Samba – Escolas de Samba do Grupo Especial – Rio de Janeiro – Beija-Flor

Salve, salve minha queridas Capivaras Carnavalescas,

O “Tem Capivara no Samba” já começou a sua contagem regressiva para o começo do Carnaval.

A cada segunda- feira, vamos escrever sobre uma das escolas de samba que irão desfilar no Grupo Especial do Rio de Janeiro.

Para evitar qualquer tipo de conflitos, vamos seguir a ordem do desfile, primeiro as escolas de samba que desfilam no domingo e na sequência, as escolas de samba que desfilam na segunda-feira.

Vamos falar hoje sobre a Beija-Flor de Nilópolis, última escola a desfilar na segunda-feira.

 

Beija-Flor de Nilópolis

 

Grêmio Recreativo Escola de Samba Beija-Flor (popularmente referida como Beija-Flor de Nilópolis) é uma escola de samba  do município de Nilópolis, tendo origem no Bloco Associação Carnavalesca Beija-Flor, fundado em 25 de dezembro de 1948 por um grupo de amigos formado por Milton de Oliveira (Negão da Cuíca), Edson Vieira Rodrigues (Edinho do Ferro Velho), Helles Ferreira da Silva, Hamilton Floriano, José Fernandes da Silva e os irmãos Mário Silva e Walter da Silva.

O grupo comemorava o Natal na esquina da Avenida Mirandela com a Rua João Pessoa, no Centro de Nilópolis, quando tiveram a ideia de criar um bloco carnavalesco para suprir a extinção dos blocos Irineu Perna-de-Pau e dos Teixeira.

Em 1953, através da articulação do compositor Cabana, começou-se as articulações para a transformação do bloco em escola de samba, que se inscreveu na Confederação Brasileira de Escolas de Samba para participar dos desfiles do segundo grupo carioca, onde obteve a primeira colocação. Seu primeiro presidente, após a transformação em escola de samba, foi José Rodrigues Sennas, ex-militar, morador da comunidade, que não estava entre os fundadores originais, mas foi convidado por eles para assumir o posto.

Com treze conquistas (1976,1977, 1978, 1980, 1983, 1998, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2011 e 2015), e ficando apenas atrás de Portela e Mangueira, a escola assume a posição de terceira maior vencedora no rol das campeãs do carnaval do Rio de Janeiro e maior campeã da “era sambódromo”. A escola ainda foi vice-campeã em outras 12 oportunidades (1979, 1981, 1985, 1986, 1989, 1990, 1999, 2000, 2001, 2002, 2009 e 2013).

Em 2017, a azul e branca de Nilópolis levou para a avenida o enredo “Iracema, a virgem dos lábios de mel” baseada no grande romance do escritor cearense José de Alencar, que narra a história da índia Iracema. Mesmo com a inovação de abolir a estrutura de alas e formar tribos na avenida através de cenas, a escola terminou em sexto lugar.

Para o carnaval 2018, o enredo será “Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu” que parte dos 200 anos do romance “ Frankenstein”, de Mary Shelley para fazer uma crítica ao preconceito social, religioso, étnico e político.

O samba enredo é dos compositores Di Menor BF, Kiraizinho, Diego Oliveira, Bakaninha Beija Flor, JJ Santos, Julio Assis e Diogo Rosa.

 

 

Sou eu…
Espelho da lendária criatura
Um mostro…
Carente de amor e de ternura
O alvo na mira do desprezo e da segregação
Do pai que renegou a criação
Refém da intolerância dessa gente
Retalhos do meu próprio criador
Julgado pela força da ambição
Sigo carregando a minha cruz
A procura de uma luz, a salvação!

Estenda a mão meu senhor
Pois não entendo tua fé
Se ofereces com amor
Me alimento de axé
Me chamas tanto de irmão
E me abandonas ao léu
Troca um pedaço de pão
Por um pedaço de céu

Ganância veste terno e gravata
Onde a esperança sucumbiu
Vejo a liberdade aprisionada
Teu livro eu não sei ler, Brasil!
Mas o samba faz essa dor dentro do peito ir embora
Feito um arrastão de alegria e emoção o pranto rola
Meu canto é resistência
No ecoar de um tambor
Vêm ver brilhar
Mais um menino que você abandonou

Oh pátria amada, por onde andarás?
Seus filhos já não aguentam mais!
Você que não soube cuidar
Você que negou o amor
Vem aprender na Beija-Flor

FICHA TÉCNICA

 

 

Presidente: Ricardo Abrão David

Carnavalescos: Comissão de Carnaval (Laíla, Cid Carvalho, Victor Santos, Bianca Behrends, Léo Mídia e Rodrigo Pacheco)

Diretor de Carnaval: Laíla

Intérprete: Neguinho da Beija-Flor

Comissão de Frente: Marcelo Misailidis

Mestre de Bateria: Rodney e Plínio

Rainha de Bateria: Raíssa Oliveira

1º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Claudinho e Selminha Sorriso

2º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: David Sabiá e Fernanda Love

 

 

Pessoal, eu vou ficando por aqui.

Até o próximo “Tem Capivara no Samba”

Na próxima segunda, tem texto sobre a primeira vez do Paladino da Boemia na avenida.

Pois é, estarei fazendo minha estreia em desfile de escola de samba no Sambódromo.

Vou sair pela Inocentes de Belford Roxo, pelo grupo de acesso, na madrugada de sábado para domingo e vou contar tudo sobre essa experiência na próxima coluna.

Se tiver alguma sugestão, reclamação, observação, recado ou apenas quer bater um papo, fique à vontade para usar a caixa de comentários no fim da página.

Um beijão do Paladino

Marcelo Soido Paz

@marcelosoidopaz_

@acapivaradeucria

 

https://www.acapivaradeucria.com.br

https://www.facebook.com/capivaradeucria

https://www.instagram.com/acapivaradeucria/ 

#paladinodaboemia

#marcelosoidopaz

#temcapivaranosamba

#acapivaradeucria

capinight

Eu, o paladino da boemia, sou carioca, comprometido, taurino, flamenguista, espírita, quarentão, compositor de samba enredo e agora colunista. Morador de Vila Isabel, mas com o Grajaú eternamente no coração, jura trazer para todas as capivaras queridas as melhores boas da noite e aquelas resenhas esperta sobre bares e festas. Vem comigo, que no caminho eu explico !!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.