O Bar da Capivara – As memórias etílicas de uma capivara levemente alcoolizada – Retrospectiva 2017 – Parte 1/3 – T1E28

Salve, salve minhas queridas capivaras

O bar da capivara vai ser um pouco diferente nessas três próximas semanas.

Com o final de ano se aproximando, o movimento nos bares aumenta muito, é o amigo oculta da firma de um lado,  o encontro com os amigos da faculdade de outro, a cervejinha do final de ano com o pessoal da rua e outras coisitas más.

Evidentemente, com esse crescimento expoencial de clientes nos bares, o atendimento tende a cair, a comida não fica tão boa, aumentam as filas e a demora para chegar os pedidos e muito mais.

Por isso, achei uma grande sacanagem falar de algum bar nesse período, correndo uma chance imensa de cometer alguma injustiça, não é esse o meu objetivo aqui.

Dessa forma, vou aproveitar essas três próximas colunas para fazer uma retrospectiva de todos os bares já resenhados até o momento.

Foram exatamente 27 colunas, 27 lugares visitados pelo Paladino da Boemia até agora no Bar da Capivara

Vamos relembrar 9 colunas por vez nessas três semanas que seguem e premiar o melhor bar do ano com um selo bacana de qualidade especial.

 

As memórias etílicas de uma capivara levemente alcoolizada começaram no bairro do Méier.

A nossa primeira coluna foi no Bar São Venceslau, localizado na rua Silva Rabelo,61.

Um dos destaques da coluna foi o show da banda Old Garage que fazia a sua primeira apresentação.

Outro destaque da noite foi a linguiça enrolada com batata chips.

 

Nossa segunda coluna foi em uma festa realizada no bairro de Laranjeiras.

O Paladino foi até a festa Aquarela.Som que aconteceu no  Guerreiros Sports Club, na sede do Fluminense Football Clube.

O moço saiu de lá encantado com o clima muito cordial e com o Set List do DJ Ailton Areas.

 

Na terceira coluna falamos de um bar de cerveja artesanal do Grajaú que se transformou em um grande parceiro do pessoal do A Capivara Deu Cria.

Estamos falando do Mestre Cervejeiro.com, localizado na Rua Farias Brito, 7, no Largo do Verdun.

Na época, estávamos apresentando aos leitores o bar que iria receber a festa de lançamento do nosso site.

Essa foi a primeira de muitas vezes que trouxemos o Mestre Cervejeiro para as nossas publicações, culminando com os 10 episódios da primeira temporada do Bebendo com a Capivara no Mestre Cervejeiro do Grajaú.

 

Em seguida, em uma coluna inspirada pela música do mestre João Nogueira, o Paladino da Boemia entrou no táxi do Seu Belarmino e partiu rumo ao centro da Cidade, em busca da Toca do Baiacú, excelente bar localizado na Rua do Ouvidor e tocado pelo Tricolor Marquinho Targino.

“Anoiteceu

Outra vez vou sair

Andar por andar sem nada a esperar

Sem ter pra onde ir

Vou caminhar por aí a cantar

Tentando acalmar as tristezas por onde eu passar”

Forte candidato ao selo bacana de bar do ano

 

Nossa quinta parada foi na Barra da Tijuca, mais precisamente no condomínio Pedra de Itaúna.

Aproveitando a entrevista com a musa carioca do Jazz Mariana Reis, o Paladino foi conhecer o Dom Helio Beer House.

Até hoje tenho o prato de costela na minha memória …

 

Dá Barra da Tijuca, fomos para a Praça da Bandeira, conhecer uma pequena joia escondida na própria praça.

Fomos conhecer o Elo Perdido, um bar com um aspecto bem rústico, com uma decoração muito bacana, um ambiente extremamente caloroso e um atendimento incrivelmente afetuoso e agradável.

Parecia que estava em algum bar da serra carioca.

 

Fazendo uma mudança completa no ruma da coluna, o Paladino da Boemia foi conhecer um restaurante japonês.

O Paladino foi conhecer o Restaurante Kimura, em Vila Isabel (olha eu finalmente falando da minha terrinha) por total e completa pressão da minha companheira.

Seguindo os conselhos do grande mestre da pintura de autos, Carlinhos Bigode de Gato, se você não curte um japa, chega no ouvido do garçom e fala que só quer os quentes. Foi o que eu fiz.

 

A penúltima lembrança de hoje é um baita restaurante localizado no Andaraí.

O Paladino foi ao famoso Bar da Gema e saboreou uma Costela da gema, uma verdadeira pirâmide deliciosa de costela de boi, batata rústica e cebola frita.

Um grande candidato ao selo bacana  de bar do ano

 

Vamos ao nono bar agora, o último a ser lembrado nessa primeira parte da retrospectiva 2017.

O Paladino da Boemia foi até a Tijuca para o lançamento da nova obra de arte do pessoal do Tártaros Hamburgueria que rolou no bar A Nossa Cervejaria.

A Nossa Cervejaria  é extremamente aconchegante, com um visual bem interessante, repleto de pequenos detalhes espalhados por toda parte.

Vou te falar que me senti em casa ali, sabe aquela sensação boa, de familiaridade com o lugar, nem parece um bar, está mais para um grupo de amigos que transformou a garagem não utilizada de um dos pais, em um clube, um espaço só deles, sabe como é?

Mais um candidato surgindo a bar do ano no horizonte.

 

 

Pessoal, eu vou ficando por aqui.

Até a segunda parte da retrospectiva 2017 do Bar da Capivara.

Se tiver alguma sugestão, reclamação, observação, recado ou apenas quer me convidar para um chopinho, fique à vontade para usar a caixa de comentários no fim da página.

Um beijão do Paladino

Marcelo Soido Paz

@marcelosoidopaz_

@acapivaradeucria

#paladinodaboemia

#bardacapivara

#capinight

#acapivaradeucria

www.acapivaradeucria.com.br

https://www.facebook.com/capivaradeucria

https://www.instagram.com/acapivaradeucria/

https://www.youtube.com/channel/UCmCLEvuxICD-NqwOP8Zo43w?view_as=subscriber

 

capinight

Eu, o paladino da boemia, sou carioca, solteiro, taurino, flamenguista, espírita, quarentão, compositor de samba enredo e agora colunista. Morador de Vila Isabel, mas com o Grajaú eternamente no coração, jura trazer para todas as capivaras queridas as melhores boas da noite e aquelas resenhas esperta sobre bares e festas. Vem comigo, que no caminho eu explico !!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.