Premier League – 11ª rodada

Um rodada emocionante, com grandes jogos e com o título definido. Sim, já temos um campeão na Inglaterra com apenas 11 rodadas jogadas. O melhor campeonato do mundo não vai perder a graça por isso, pois ainda tem muita coisa em jogo, mas o City já tem pelo menos uma das mãos na taça.

O time comandado por Pep Guardiola foi ajudado pela abritagem é verdade, mas o Arsenal não mostrou um futebol que pudesse deixar seu torcedor imaginando que Wenger pudesse armar um time para bater o City em Manchester. A equipe de Londres jogou até melhor do que eu imaginava, mas com uma enorme decepção no setor ofensivo, chamada Ozil. O alemão parecia em outro ritmo, meio que amistosa ou pré-temporada, sonolento, desplicente. O jogo mudava, para pior, quando a bola caia em seus pés. Péssima atuação do jogador que se esperava muito para ajudar ao Arsenal a pelo menos voltar ao posto de grande e brigar pelo título. Wenger mudou o time, colocou mais um zagueiro e liberou mais o laterais, mas isso não foi suficiente.

No segundo tempo mudou mais uma vez o esquema tático o que não surtiu efeito e o Arsenal mais uma vez sucumbiu em um clássico ficando na sexta colocação com 19 pontos, o mesmo número de pontos do Burnley. Caso essa temporada o time fique mais uma vez fora da Champions a cabeça do treinador mais uma vez estará em perigo. Já pelo lado do City fica a euforia e a empolgação de mais uma vitória, mesmo que o árbrito tenha dado uma mãozinha. De Bruyne, um monstro, jogou demais e tomou conta do meio e do ataque. Guardiola iniciou a partida com Jesus no banco e Aguero como titular e quando o time começa a jogar fica impossível tecer alguma opinião contrária a escalação ou qualquer decição tomada pelo técnico, pois o time voa em campo.

Tudo bem que ele foi ajudado pela arbitragem, mas o City já tinha criado pelo menos 3 chances claras de gol antes do apito amigo. Por sinal o que esse time cria de chances de gol é uma coisa bizarra, no bom sentido, pois o City, mesmo sendo um time rápido com a bola nos pés também sabe ser um time que trabalha a bola e envolve o adversário o que complica o sistema de marcação das equipes que jogam contra ele. Por fim, o City não vai ser o Corinthians da terra da rainha e dificilmente essa equipe vai cair de produção ao ponto de alguém ameaçar o posto de campeão da Premier League, pois esse título já tem dono e ele se chama Manchester City.

No outro grande jogo da rodada, eu me enganei completamente. Achei que seria um jogo amarrado, chato, fechado, pois o Chelsea não estava em uma boa fase o Mourinho é um cara retranqueiro. Mas alguns fatores fizeram com que esse jogo fosse muito bom e o placar de 1 x 0 não refletiu o que foi a partida, também pelas boas defesas do dois goleiros. Primeiro fator e decisivo para a vitória do Chelsea, a volta de Kanté. Ele não fez uma de suas melhores partidas, ainda estava meio fora de ritmo, mas ele coloca moral no adversário, ele é rápido e tem visão de jogo com a bola nos pés.

O Kanté não foi o cara da partida, mas deu mais consistência ao meio campo que estava perdido nas últimas partidas quando time foi detonado pela Roma fora de casa pela Champions League. Outra carta na manga de Conte que o esquema montado por Mourinho bater cabeça foi a entrada de Bakayoko mais adiantado no ataque. Ele perdeu gol, ele não é daquela posição, mas ganhou muitas bolas, fez papel de pivô e por ser forte ganhou muitas bolas dos zagueiros do United, coisa que William, mais habilidoso, pouco poderia fazer e na minha visão seria facilmente anulado pelos esquema do portuga.

Fábregas mais recuado apareceu menos que o de costume, mas deu peso ao meio ajudando Kanté, quase fazendo o papel do Matic no fim da última temporada. Matici que por sinal foi aplaudido ao voltar em Stamford Brigde assim como Mourinho. O técnico do United que também recebeu muitas vaias armou o time como sempre, fechado, mas com uma orientação um pouco diferente dos últimos jogos, pois o time foi para cima, abriu jogadas, deixou jogar sem deixar de ser defensivo o que tornou a partida muito bonita e gostosa de acompanhar. No fim deu Chelsea com um belo gol de Morata. e deixou a briga boa pelo segundo lugar. United em segundo com 23 pontos, Tottenham vem logo atrás com os mesmo 23 pontos e o Chelsea permanece em quarto, agora um ponto atrás, com 22 pontos.

Tottenham e Liverpool ganharam seus jogos, não fizeram mais que a obrigação e por isso não vou falar mais nada sobre esses jogos. Dois jogaços desses, com uma qualidade técnica e uma disposição tática bem definida pelas equipes se perde até um pouco a vontade de assistir outros jogos e fico esperando pelos grandes confrontos da Champions League, pois esse campeonato, essa tal de Premier League é uma coisa de louco, toda semana tem pelo menos uma ótima partida para acompanhar e jogos sempre bons e disputados. Uma nota para o Everton que saiu do rebaixamento, com uma vitória de virada sobre o Watford. Richarlison jogou bem e se manter esse ritmo ano que vem já estará em outra equipe.

Tottenham x Crystal Palace

West Ham x Liverpool

Everton x Watford

Treta: Conte deixou o David Luiz fora do banco de reservas, o que aconteceu? Dizem que ele estava do lado de Diego Costa e isso ainda pode ser reflexo dessa briga.

Só acho: Conte poderia treinar o chute do Bakayoko e não deixar mais ele pintar o cabelo, pois ficou com a cor do City e não do Chelsea.

Só acho 2: Com o fim dessa rodada além do campeão definido, acho que definimos também os classificados para a Champions.

Só acho 3: Mais uma goleada do City estar por vir. Próxima vítima, Swansea.

Frase do dia: Ser ou não ser, uma capivara, eis a questão.

Por Argentino Duarte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.