Como e quando começar a vida sexual

A 1ª vez a gente nunca esquece! Será? É o que dizem. E assim como consta no dito popular, muita gente acaba acreditando que sua 1ª vez precisa ser mágica. Fantasiar sobre esse assunto é típico do universo feminino. Nós mulheres, temos o hábito de romantizar tudo. Na verdade, não existe uma idade exata para iniciarmos, mas o nosso corpo fica pronto mais rápido do que nossa capacidade de entender que precisamos ter maturidade para iniciarmos.

Os hormônios tornam essa diferença muito desleal, porque a libido fica a todo vapor e a gente cresce e “ganha corpo” rápido. A maturidade que precisaríamos ter para iniciarmos a tão esperada vida sexual e assim torná-la ativa, vai depender muito da educação que recebemos dos nossos pais e da relação que é estabelecida entre os pais e seus filhos.

Conversar e orientar sobre o assunto é fundamental, mas os filhos precisam ter o mínimo de maturidade para tal, do contrário iremos contribuir para o mau desenvolvimento dos nossos filhos em relação ao sexo. Segundo pesquisas, respeitar a “idade” biológica é importante, mas respeitar a psicológica é mais ainda, pois se houver um descompasso entre a maturidade física e a maturidade emocional a pessoa poderá ter disfunções, desvios e inadequações na sua vida sexual.

Concomitante a este fato, existe a necessidade de os pais também terem sua sexualidade bem resolvida e estarem bem informados sobre o assunto, do contrário o estrago pode ser grande. Eu falo por mim. Meus pais me orientaram da melhor maneira que eles poderiam me orientar, eu sempre tive acesso as informações porque eles estavam disponíveis para me dar atenção e conversarmos.

E por ter uma maturidade avançada para minha idade, as informações não me influenciaram a antecipar o processo, muito pelo contrário. Perdi minha virgindade com 20 anos de idade por uma decisão minha. Porque naquele momento eu entendi que eu tinha responsabilidade para viver isso com responsabilidade.

O sonho da minha vida sempre foi casar e ter filhos e gostaria que tivesse acontecido cedo, mas isso não era motivo para eu transar. Eu transei quando quis, e não quando quiseram transar comigo, nem quando a maioria dos meus colegas e amigos já tinham transado, com exceção de poucos.

Foi consciente e com uma pessoa que eu gostava muito. Não tenho uma religião definida, nem tão pouco frequento uma instituição religiosa. A opção de transar quando eu entendesse que era o momento, foi minha e não por rigor da educação que recebi ou de dogma.

Sempre conversei muito sobre sexo, esse sempre foi meu tema favorito. No 2º ano do 2º grau fiz um trabalho sobre o órgão reprodutor masculino e ajudei uma colega de classe a fazer do órgão reprodutor feminino e depois nós duas fizemos ponderações sobre relação sexual, prevenção e DSTs que me ajudaram ainda mais a entender que sexo é coisa séria e precisa ser tratado com o devido respeito.

Isso é bem interessante porque quem me conhece acha que eu perdi a virgindade cedo, que eu tenho uma lista infinita de homens com quem transei, que já saí com mulher, já fiz ménage e swing… kkkkkkkkkk… Eu me divirto com isso tudo porque na verdade é uma questão de ler, estudar, pesquisar, debater e ouvir experiências.

Não preciso ser jogador de futebol, para saber tudo sobre futebol. O princípio é o mesmo. Acrescido a isso existe o fato d’eu ser uma pessoa desenvolta, comunicativa, expansiva e bem-resolvida. Por conta da nossa natureza mais emotiva que a dos homens, daria alguns conselhos para vocês, meninas virgens:

A primeira vez nem sempre dói. O lance é que todo mundo fala que dói e ficamos com isso na cabeça;

Nem sempre sangra na 1ª vez. A não ser que seu hímen seja fibroso, e isso implica em ser menos elástico;

É claro que você pode sentir prazer na primeira vez. Algumas meninas são orientadas, se informam bastante e estão com o menino que gostam. E tudo isso ajuda. O parceiro, às vezes, também contribui para que tudo saia perfeito;

Os rapazes nem sempre tem mais tesão do que nós meninas;

O sexo é realmente maravilhoso quando você se conhece e conhece seu corpo;

Sexo nem sempre se parece com o que os filmes mostram, nem os românticos, nem os eróticos;

Saiba o que você gosta e não tenha medo de dizer ao seu parceiro;

Diga “não” quando quiser e saiba que isso não te torna menos atraente;

O melhor sexo é quando os 2 têm prazer;

Muitas mulheres podem não ter orgasmo na relação sexual por si só. Cerca de 50 a 75% precisam de estimulação clitoriana;

O melhor sexo não significa um grande amor;

Ansiedade e medo sobre sexo são normais, por isso, é bom que você converse com o seu parceiro.

Assim como qualquer outra coisa, para melhorar precisa praticar.

 

Tips for you lose your virginity:

Relaxe ao máximo! A musculatura interna da coxa precisa estar relaxada;

A intimidade com o parceiro tem que começar antes do dia “D”. Ele precisa começar introduzindo o dedo na vagina antes da penetração. Ajuda muito e a menina consegue ter um primeiro contato com a penetração. É importante porque ela saberá como é a sensação de ter algo dentro dela. É necessário fazer isso com calma e delicadeza para não machucar;

Diga o que você quer. Não existe problema nenhum em dizer se você está gostando ou se está se sentindo incomodada, ou sugira outras posições;

As meninas que tem o hábito de se masturbarem, tem mais conhecimento sobre o próprio corpo e reações. Sem dúvida terão uma primeira vez mais prazerosa do que aquelas que não sabem o que está acontecendo;

Curta as preliminares. Elas são fundamentais e não só na primeira vez. Ela ajudam a preparar o corpo para receber o pênis porque a musculatura relaxa;

Não existe uma regra sobre a melhor posição para a primeira vez. Será sempre aquela que for mais confortável para ambos e na qual a mulher consiga relaxar.

O ideal é que você tenha uma relação saudável com seus pais e possa sempre conversar com eles. Pois quando o momento chegar, ter o suporte deles será fundamental, até para você tomar a decisão de aquele ser o momento apropriado ou não. Se consultar com um médico ginecologista é de suma importância desde a 1ª menstruação da menina, a não ser que seja cedo e o médico pediatra ainda seja o adequado para esse atendimento. Mas antes da primeira vez a menina precisa ir a um ginecologista e pedir orientação sobre tudo o que tiver dúvida. Isso ajuda a menina a se preparar e é essencial para que receba orientações quanto a métodos preventivos.

USE SEMPRE CAMISINHA!!! Para tal, tenha sempre camisinha com você para não ser pega desprevenida.

By Obscena Sra. C.

E a sua primeira vez, como foi? Comum, surpreendente, de conto de fadas? Compartilhe e deixe no comentários.

Ou se preferir me envie e-mail: capivaraseduzente@acapivaradeucria.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.