A capivara no Repense 2017

Salve, salve minha queridas capivaras cervejeiras

Hoje é dia de novidade no “A Capivara Deu Cria” , teremos uma coluna compartilhada.

É isso aí, um único espaço para duas capivaras prepararem uma bela coluna, no caso, eu, o Paladino da Boemia, e o Fábio Araújo, o doutor das cervejas e colunista do Bebendo com a Capivara.

O tema da coluna de hoje é o Festival Repense Cerveja 2017, promovido pela Cervejaria 2Cabeças

Antes, vamos organizar a coisa, eu vou falar do evento e o Fábio vai falar dos mais de 20 maravilhosos chopes que foram servidos no dia.

Brother do Céu, o evento foi incrível, totalmente excelente, tudo funcionou bem, bom quase tudo na verdade, mas nada que tirasse o brilho do evento.

São Pedro deu aquela força e o tempo sábado ficou incrível, céu azulzinho e temperatura amena, bicho, esse pedrinho sabe das coisas, viu.

O evento rolou na Casa de Espanha, no Humaitá, em um salão gigantesco, com ar condicionado à toda e aquela vista estupenda para a área verde e para o Cristo Redentor.  Que lugar lindo da porra !!!!

O salão foi aberto, britanicamente, às 14h, conforme prometido e com uma excelente surpresa, 20 barris de chope plugados e liberados para a nossa alegria. Queria aproveitar e mandar um salve para aquela galera que andou falando que os chopes iriam ser plugados aos poucos e que os lançamentos só iriam dar as caras no fim do evento. Rapaziada, Deus tá vendo …

 

Cara, o serviço foi primoroso, desde quem ficou na porta recebendo os clientes, passando pelo pessoal que entregou as taças, pela equipe de reposição do gelo para as chopeiras e da troca dos barris e pela pessoal da loja, que merece um parágrafo à parte.

Montaram uma lojinha bem depois da entrada do evento com diversos produtos como camisas masculinas, camisas femininas, bonés, chaveiros e taças. Ficou bem legal mesmo e a equipe era toda muito entrosada e receptiva, era papo de parar ali para bater papo, de bobeira sabe, uma vibe bem bacana, tão bacana mas tão bacana que eu até fiz compras lá e acabei comprando uma parada que eu nem uso, como por exemplo, um boné. Sim, eu comprei um boné, logo eu que não uso isso. Deu para ver agora como a equipe da loja é boa. kkkkkkkkkkk.

 

No segundo andar, rolou um varandão com as barracas de comida que me levaram à desgraça, com a galera do Soul do Sul e Panelada.  O que era o cheiro daqueles hambúrgueres e o que era aquela batata frita, meu irmão, assim não tem regime que aguente, covardia, querem ferrar com a vida da capivara gordinha, desse jeito vou acabar chegando nos eventos rolando de tanta comida boa que aparece. #triste #correuumalágrima

 

O evento foi de cervejeiro para cervejeiro, encontrei diversas pessoas conhecidas por lá como o Rodrigo  da Cerveja Dracxler, o Altino e o Rodriga da Cerveja Grajaú, as meninas da Confraria do Grajaú,a galera do CUMA,  o pessoal do Yeasteria e tantos outros que de certa forma, levam a cerveja artesanal carioca em frente. 0% de brigas, confusões e mimimis. Por mais eventos assim, rapaziada.

Bom, como falei lá no início, nem tudo foram flores, houveram duas pequenas derrapadas na minha modesta opinião, mas que de forma alguma abalaram o sucesso do evento.

O som estava bem legal no começo do evento, dava para ouvir perfeitamente tudo que estava rolando mas durante o evento, com a quantidade de pessoas que compareceram e estando em um salão fechado e refrigerado, o som foi ficando abafado, mas tão abafado que logo se tornou em algo desconfortável, uma barulheira sem nexo, não se consegui diferenciar o Van Halen do Negritude Junior, era tudo barulho irritante, era melhor ter diminuído o volume ou até ter desligado o som. Quando parte das pessoas foram embora, o som voltou a ficar bom.

Outra coisa que rolou foi a quantidade pequena de mesas disponíveis no salão. Se não me engano, foram seis ou oito no total. Eu entendo que a ideia do evento era ver o pessoal circulando, conversando e trocando impressões sobre suas experiências mas, vamos lá, boa parte do pessoal já passou dos 35 anos e depois de beber tantos chopes diferentes e de ficar tanto tempo em pé, o corpo pede um descanso.  Escutei diversas pessoas falando disso no salão. Felizmente cheguei cedo e garanti logo uma mesa para A Capivara Deu Cria.

Bom, esses são pontos a serem melhorados para o Repense Cerveja 2018 mas que não atrapalharam o sucesso do evento.

Eu já escrevi demais por hoje, vamos agora ao assunto que mais interessa, a cerveja.

Fábio, chega mais e assume os comandos do teclado que agora o texto está nas suas mãos, hora do “Bebendo com a Capivara”

Pois é Paladino, que evento fantástico organizado pelo pessoal da 2Cabeças. A vontade era de não sair de lá, mas uma hora tinha que acabar.

Então vamos as estrelas do evento, as cervejas:

A primeira a ser degustada foi a Antes do almoço, uma American Blonde Ale já tradicional da 2cabeças. De cor dourada, aroma frutado, corpo médio, com m toque de trigo e aveia é uma excelente cerveja para beber antes, durante e após o almoço. Alta drinkability, 4,5% de álcool e 18 IBU que garantem um amargor quase inexistente.

logo partimos para a Saison Umbu, da Experimento Beer. Coloração esverdeada, aroma cítrico e como não poderia deixar de ser, umbu perfeito, corpo médio, acidez e dulçor bem equilibrados. Boa drinkability, bastante refrescante, 6,2% de alcool e 25 IBU que garantem um amargor baixo.

Enfim chegamos nas novidades. #WTF, cerveja colaborativa da 2cabecas com a 3cariocas, uma Double IPA com melancia e tangerina. Cor amarela turva, aroma sensacional de tangerina que da muita vontade de beber, amargor bem inserido. Excelente drinkability, uma porrada de 8,2% de álcool e 80 de IBU.

Ja que o evento era para experimentar e repensar as cervejas fomos para a Caramel Salé uma Gose com sal rosa do Himalaia da 2cabecas com a Three Monkeys Beer. A proposta era de seguir o ritual de colocar caramelo na borda da taça, passar no sal rosa, colocar a cerveja, acrescentar frozen e colocar caramelo por cima. 😱. Pois é, a experiência não foi muito agradável para mim, embora tenha visto algumas pessoas elogiando muito, mas o excesso de coisas me fizeram perder completamente o foco da Cerveja e infelizmente não experimentei ela sem a “fantasia” proposta. 4,9% de álcool e 10 IBU.

Outra parceria foi com a Cervejaria Dádiva com uma berliner Wiese com frutas amarelas. A Yellow Tart de coloração amarela turva, com acidez moderada, aroma de lúpulo e cítrico. Amargor bem presente, boa drinkability, 5% de álcool e 52 IBU.

Uma boa pedida foi a Gelato IPA colaborativo com a Canediguerra. Uma NE IPA com goiaba e baunilha. De cor amarela fosca é com bastante turbidez, quase um suco, corpo médio, aroma de lúpulo, um pouco de baunilha e no sabor encontrei um pouco de goiaba e amargor bem inserido. Excelente drinkability, com 6,% de álcool e 30IBU.

A Laranjeiras da 3cariocas é uma Berliner Weiser com laranja. De cor amarela fosca, de acidez baixa, aroma de laranja e só. Esperava mais dela, 3,8%, 5 IBU.

A Koala SAN Brew apresentou sua colaborativa Bavarian Coconut, uma Cerveja de trigo de estilo alemão com coco. Amarela fosca, com boa formação de espuma, aroma e sabor de coco tostado,  boa drinkability. 5,4% de álcool e 18 IBU.

Que tal uma Limonada Suíça, Double Witbier com limão e lactose? Esta foi a colaborativa com a Cervejaria Nacional. Cerveja Amarela um pouco turva com baixa formação de espuma, bem aromática com limão bem presente também no sabor, não percebi nada que me lembrasse que tinha lactose presente. 6,8% de álcool e 18 IBU.

Que tal uma Berliner Weisse com tamarindo? Via Lactos Essa foi a novidade da Lagos Cervejaria. Cerveja dourada, com baixa formação de espuma parecia um suco com tracos de tamarindo, esperava mais acidez que talvez tivesse me chamado mais a atenção. 4,4% de álcool e 8 IBU.

Uma novidade exclusiva da 2cabeças foi a Fênix, uma Imperial IPA (LOTE1: SIMCOE, COLUMBUS e CENTENNIAL). Uma pequena porrada de 100 IBU, com 8,1% de álcool nessa IPA muito bem apresentada pela cervejaria. Dourada com boa formação de espuma e amarga como uma boa IPA.

Já chegamos na 12ª cerveja do evento, uma Session IPA da 2cabeças, a Funk IPA. Dourada clara, com boa formação de espuma, corpo baixo, com 4,7% de álcool e 45 IBU que proporcionam um amargor razoável.

A Cervejaria Urbana apresentou uma excelente Imperial Smoked Porter, Passado Negro, com 10,8% de álcool muito bem inseridos nesta cerveja escura de 60 IBU que proporcionou um amargor ótimo, aroma e sabor de defumado, um pouco de torrado também, excelente drinkability.

Que tal uma Sour com limão e carvalho inspirada no drink Whiskey Sour? Pois é, outra excelente pedida da colaborativa Whiskey Sour Ale em parceria com a Rockbird Craft Brewery. Excelente formação de espuma nessa cerveja dourada, com aroma de limão bem suave e carvalho, excelente drinkability com 6% de álcool e 6 IBU. Amargor inexistente, sabor de amadeirado bem leve, bem como do limão.

A tradicional Pink Lemonade colaborativa com a Dádiva. Certamente a cerveja com o aspecto mais bonito, a cor dela é sensacional  lembrando um suco bem concentrado de framboesa, inclusive já falamos dela aqui. Uma Berliner Weisse que continua excelente. Baixa formação de espuma, com carbonatação baixa, amargor inexistente, excelente drinkability, aroma citrico e sabor bem presente da framboesa e um leve toque cítrico do limão, acidez baixa, refrescante, corpo médio, 4,4% de álcool e 5 IBU.

E assim foi a nossa experiência no Repense Cerveja 2017. Uma ótima ideia para divulgação, aprendizado e novas descobertas. Já estamos anotando na agenda o Repense Cerveja 2018.

P.S. Não bebi a Maracujipa, A Palo Santo, Carmel Beach, Mais uma Larger Normalzinha, Taperebá Brasilien Weisse, HI5, Saison a trois

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.