O BAR DA CAPIVARA OU AS MEMÓRIAS ETÍLICAS DE UMA CAPIVARA LEVEMENTE ALCOOLIZADA – ELO PERDIDO – T1E6

Salve, salve minhas queridas capivaras, bem-vindos ao bar da capivara

As memórias etílicas de uma capivara levemente alcoolizada dessa vez me remeteram para uma viagem extraordinária até os bares da região serrana do nosso Rio de Janeiro querido.

 Me senti o próprio Comandante James T. Kirk, pedindo para fixar as coordenadas do tele transporte da USS Enterprise quando desci do táxi e cheguei no meu destino.

Imagina um bar com um aspecto bem rústico, com uma decoração muito bacana, um ambiente extremamente caloroso e um atendimento incrivelmente afetuoso e agradável.

 Itaipava? Petrópolis? Teresópolis? Nada disso.

 Esse bar existe e fica, literalmente, na Praça da Bandeira.

O bar da capivara apresenta o Elo Perdido Bar e Restaurante.

Chegamos no fim do expediente, quase na hora do fechamento, o bar já estava esvaziando.

Até pensei em dar meia volta e abortar a missão, mas me encantei com a decoração do lugar e acabei entrando.

Sábia decisão, meus amigos. Sábia decisão.

O bar é excelente, é como se fosse estivesse em uma exposição de fotografias com a vantagem de se ter uma cervejota bem gelada ao seu lado.  Fiquei embasbacado com as peças de madeira e com as luminárias.

 Muito legal mesmo.

Pedimos um Eisenbahn, que chegou na mesa estupidamente gelada, e começamos a ler o cardápio,  até que achei um item que me chamou muito a atenção: bolinho de rabada.

Brother, isso deve ser bem gostoso, fiquei doido para pedir essa iguaria carioca, mas, infelizmente, a minha companhia não partilhou da minha opinião gastronômica.

Acabei pedindo o filet mignon no molho bandeira, sensacional, o prato é muito bom, a carne estava bem macia, o molho madeira estava incrível e o pão bem torradinho, com orégano e em grande quantidade.

 Ainda apareceu um pote de farofa, por cortesia da casa, perfeito, só faltou uma porção de arroz branco e o aperitivo virava um jantar.

A casa ainda tem uma pequena adega, com ótimas opções de vinho para a escolha do cliente.

Outro aspecto legal foi o serviço, mesmo sendo no fim da noite, fomos muito bem atendidos, tanto pela menina que nos serviu, como pelo dono da casa, que nos deixou completamente à vontade. Grande sujeito.

O mais legal de tudo é saber que temos uma casa desse tipo na Praça da Bandeira, com direito a vaga de estacionamento bem na porta.

Virou uma ótima opção para o happy hour.

Sugiro conferir a programação da casa pelo link do Facebook, pois costuma rolar música ao vivo aos sábados.

Então é isso, vou ficando por aqui.

E você? Tem algum bar para recomendar?

Use e abuse da caixa de comentários aí embaixo, vou ficar esperando uma sugestão legal.

Grande abraço do Marcelo Soido Paz

@marcelosoidopaz_

APROVADO

Elo Perdido

Praça da Bandeira, nº. 317

Maiores informações no link do Facebook –

https://www.facebook.com/eloperdidobarerestaurante/

#capinight

#paladinodaboemia

#papaichegou

#memoriasetilicas

#bardacapivara

@acapivaradeucria

www.acapivaradeucria.com.br

capinight

Eu, o paladino da boemia, sou carioca, comprometido, taurino, flamenguista, espírita, quarentão, compositor de samba enredo e agora colunista. Morador de Vila Isabel, mas com o Grajaú eternamente no coração, jura trazer para todas as capivaras queridas as melhores boas da noite e aquelas resenhas esperta sobre bares e festas. Vem comigo, que no caminho eu explico !!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.